A DEMOCRACIA CONTRA O POVO

A Assembleia Legislativa de São Paulo elege hoje (15) o novo presidente da casa, Carlão Pignatari (PSDB), que publicou nas suas redes sociais “DEMOCRACIA EM EXERCÍCIO”.

Já começo dizendo que a discordância também faz parte da democracia, e por isso sem muito entender de política suja e nem a limpa, ouso a escrever algumas linhas.

Não é surpreendente, o aliado de Agripino Dória, também receber votos do PT, PCdoB, Rede e PSB, além da “tucanaiada”.

Alguns ainda votaram e disseram em alto e bom som “DETERMINAÇÃO PARTIDÁTIDA” o que me parece aqui – é que, o que se alastra entre nós é uma cinzenta área de imprevisões ou tudo já previsto – não se sabe, onde a palavra democracia, passou a fazer parte do repertório das oposições.

DEMOCRACIA DO MEDO

Políticos se rendem ao sistema, com medo de perder a governabilidade, um político que responde a processos de improbidade administrativa, atuou para extinção de estatais e ajuste do ICMS, foi eleito inclusive com acordo e participação do PT.

Essa supremacia preponderante de TUCANOS está no poder desde 1995, e é a demonstração clara de que o Dória TEM a maioria da casa, esse cenário de incertezas que vivemos, já não pode ser mais confundida com TENDÊNCIA, esse ciclo histórico, ininterrupto, cumulativo, precisa terminar.

MUDANÇA DE RUMO

Um “novo” presidente da ALESP declarou em suas redes sociais:

“ Como parte do meu compromisso com você, cidadão paulista…coloco meu nome à disposição para concorrer ao cargo com um só objetivo: servir à casa do povo! ”

Mas que na verdade NÃO está ligado com os princípios da moralidade, da ética e do dever de probidade.

PRECISAMOS RENOVAR

É passado a hora de renovar o modo de exercer a política, por isso defendo a participação e o aprofundamento, com presença da sociedade das decisões de governo, o povo deve ficar de olho em todos os detalhes porque a eleição para DEPUTADOS se aproxima, e a má escolha afetará diretamente a sua vida.

Reflitam sempre nisso: Se de fato agentes públicos agissem em consonância com os princípios da moralidade administrativa e da ética pública, da boa-fé objetiva, da funcionalidade, honestidade, lealdade e legalidade, alcançaríamos, sem dúvida a garantia de boa administração.

Com a Democracia em Exercício do mais novo presidente da Alesp, quem perde é o povo que enfrenta sem precedentes na história a maior crise já vista, perde trabalhadores e a própria democracia.

Raquel Moreno – Ativista da Causa Surda

Anúncio

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui