Ora, se somos todos iguais, sem qualquer distinção… PORQUE TEMOS QUE VIVER tentando nos afirmar?

0

“SOMOS TODOS IGUAIS” – Art. 5º da CF/88 – ou Deveríamos Ser!

Vivemos uma realidade apregoada pela Lei, em função dos nossos Direitos e Deveres, como podemos nos certificar por ela própria:

Art. 5º – Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade.

“SOMOS TODOS IGUAIS” – Art. 5º da CF/88 – ou Deveríamos Ser!
Dr. Daniel Silva Nunes – é Advogado – Contador e Professor – Pós Graduado e Doutorando em Ciências Jurídicas – Pela Universidad Del Museo Social Argentino.

Ora, se somo todos iguais, sem qualquer distinção… PORQUE TEMOS QUE VIVER tentando nos afirmar, das mais diversas maneiras, seja na RAÇA, na CRENÇA, nas NOSSAS ESCOLHAS, na OPÇÃO SEXUAL, no GÊNERO, no “ser ou não ser” PERFEITO.

Noto, que tudo vem se perdendo ao longo do tempo, pois quando nos tornamos todos iguais, TEMOS AMOR E RESPEITO, ao próximo, OS VALORES, vão se esvaindo, pois o mais importante é sermos notados, termos os maiores números de like, nas redes sociais, doam a quem doer não importa a quem!

Grupos, sem um especifico, mas todos em geral, lutando pelos seus diretos, valores, respeito ….. Pararam pra pensar que quando “achamos” que lutamos pelos “NOSSOS”, podemos estar ferindo o de “TODOS”, ser valorizado, ser reconhecido, ser aceito, não é uma questão de luta, ou pelo menos não deveria ser… É pararmos de olhar apenas para nosso umbigo, onde centralizamos o EGO, do “MEU pode ou EU posso” e passarmos viver coletivamente, onde aquela velha e antiga frase se faria presente “O MEU DIREITO ACABA ONDE COMEÇA O DO OUTRO”!

A perfeição não está no nosso físico, na nossa aparência, em quem ganha mais, ou menos… Em quem pode mais… A Perfeição está dentro dos corações, quando temos a capacidade de entender, compreender e apreender com o próximo, as vezes não concordando, porém, respeitando as divergências, que está, de alguma forma contraria o artigo 5º da nossa Carta Magna, abrindo uma única, ou deveria ser a única brecha de diferença “O RESPEITO AS DIFERENÇAS”!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui